Archive for ‘Tipologia’

09/23/2015

Elemento ÁGUA – Nós e Os Outros – Os Temperamentos Predominantes e Os 4 Elementos, Por Stephen Arroyo e Immanuel kant


Predominância da ÁGUA – Fleumático / Fleuma  ou Linfas

“Seu estado emocional é que determina seu comportamento, vive em seus sentimentos e necessita do envolvimento emocional intenso. Sua qualidade empática os faz absorver estados emocionais além de si. Necessita relacionar-se com outras pessoas iguais e alcançam melhor forma psíquica e emocional quando em proximidade de água corrente.” (Arroyo)

“As pessoas com tendência à melancolia atribuem grande importância a tudo o que lhes concerne. Descobrem em tudo uma razão para a ansiedade e em qualquer situação notam de imediato as dificuldades. Nisso são inteiramente o oposto do sanguíneo. Não fazem promessas com facilidade, porque insistem em cumprir a palavra e pesa-lhes considerar se será ou não possível cumpri-la. Agem assim, não devido a considerações de ordem moral, mas ao fato de que o interrelacionamento com os outros preocupa sobremaneira o melancólico, tornando-o cauteloso e desconfiado. É por essa razão que a felicidade lhes foge.”(Kant)

Na dimensão mais sutil da natureza, os seres que realizam com o elemento água são as ondinas.

Gratidão Seres da Água

Gratidão Seres da Água

Tags:
09/23/2015

Elemento FOGO – Nós e Os Outros – Os TemperamentOs Predominantes e Os 4 Elementos, Por Stephen Arroyo e Immanuel kant


Predominância do FOGO – Bilioso / Bilis Amarela

 

“Permanecer em estado inspirado e excitado é decisivo para a manutenção do  seu interesse. pouca diplomacia diante do conflito, reação de força e energia. É vital o convívio com pessoas e ideias progressistas e trabalhos fisicamente exigente, sentem-se refeitos na luz solar e ao ar livre e meio perdidos durante à noite.” (Arroyo)

“Dizem do colérico que tem a cabeça quente, fica agitado com facilidade, mas se acalma logo que o adversário se dá por vencido. Que se aborrece, mas seu ódio não é eterno. Sua reação é rápida, mas não persistente. Mantém-se sempre ocupado, embora o faça a contragosto, justamente porque não é perseverante; prefere dar ordens, mas aborrece-o ter de cumpri-las. Gosta de ter seu trabalho reconhecido e adora ser louvado publicamente. Dá valor às aparências, à pompa e à formalidade; é orgulhoso e cheio de amor-próprio. É avarento, polido e cerimonioso; o maior golpe que pode sofrer é a desobediência. Enfim, o temperamento colérico é o mais infeliz por ser o que mais provavelmente atrairá oposição.” (Kant)

Os seres da dimensão sutil da natureza que realizam com o elemento fogo são conhecidas por salamandras.

Gratidão Seres do Fogo

Gratidão Seres do Fogo

Tags:
09/23/2015

Elemento TERRA – Nós e Os Outros – Os Temperamentos Predominantes e Os 4 Elementos, Por Stephen Arroyo e Immanuel kant


Predominância da TERRA – Melancólico / Bilis Negra

“As preocupações com o mundo material e sobrevivência são mais real do que qualquer outro aspecto da vida. Sentem a necessidade de assumirem deveres e obrigações, sentem desafiados a enfrentar o mundo. Necessitam recarregar-se na natureza, pisar no chão, mão na terra, na força do crescimento dos plantas.” (Arroyo)

“Fleuma significa falta de emoção e não preguiça; implica uma tendência a não se emocionar com facilidade nem se mover com rapidez, e sim com moderação e persistência. A pessoa fleumática se aquece vagarosamente, mas retém por mais tempo o calor humano. Age por princípio, não por instinto; seu temperamento feliz pode suprir o que lhe falta em sagacidade e sabedoria. Ela é criteriosa no trato com os outros e em geral consegue o que quer, persistindo em seus objetivos, embora pareça ceder à vontade alheia. (Kant)”

Na dimensão sutil da natureza, os seres que realizam com o elemento terra são conhecidos por gnomos

Gratidão Seres da Terra

Gratidão Seres da Terra

Tags:
09/23/2015

Elemento AR – Nós e Os Outros – Os Temperamentos Predominantes e Os 4 Elementos, Por Stephen Arroyo e Immanuel kant


Predominância do AR – Sanguíneo / Sangue

“Para eles um pensamento é tão real quanto qualquer objeto material. Vive no reino abstrato do pensamento e a sua atitude natural diante do conflito é distanciar-se dele, observá-lo de fora, elevar-se ou flutuar ao redor dele. São elegantes ao tratar do problema, embora não revelem vão se ressentir com que os ocasionou. Sentem-se refeitos em relacionamentos com pessoas de mentalidade igual e envolvimento social que lhes ofereça canal para a expressão das suas ideias ou algum tipo de trabalho que lhe confira estímulo e liberdade intelectual. Sentem-se bem ao ar puro, como nas montanhas. “(Arroyo)

“A pessoa sanguínea é alegre e esperançosa; atribui grande importância àquilo que está fazendo no momento, mas logo em seguida pode esquecê-lo. Ela tem intenção de cumprir suas promessas, mas não as cumpre por nunca tê-las levado suficientemente a sério, a ponto de pretender vir a ser um auxílio para os outros. O sanguíneo é um mau devedor e pede constantemente mais prazo para pagar. É muito sociável, brincalhão, contenta-se facilmente, não leva as coisas muito a sério e vive rodeado de amigos. Embora não seja propriamente mau, tem dificuldade em não cometer seus pecados; ele pode se arrepender, mas sua contrição (que jamais chega a ser um sentimento de culpa) é logo esquecida. Ele se cansa e se entedia facilmente com o trabalho, mas constantemente encontra entretenimento em coisas de somenos — o sanguíneo carrega consigo a instabilidade, e seu forte não é a persistência.” (Kant)

Na natureza, os seres da dimensão sutil que realizam com o elemento ar são os Silfos.

Gratidão Seres do Ar

Gratidão Seres do Ar

Tags:
12/30/2013

Miasmas segundo a Homeopatia


bad_habits_illustration

Miasmas primários: Psora, Sicose, Luetismo (ou Sifilismo)

Miasmas são como etapas fisiopatológicas de desequilíbrio inicial que progride devido à persistência do ambiente hostil, que causam sobrecargas internas e  agressões diversas. São  formas de adoecimentos com características próprias e que guardam relações entre si e com os órgãos que vão lesionar,  dentro do mesmo grupo miasmático.

Há que se ter em mente, com muita sensibilidade,  que a doença é a materialização do adoecimento para  limpeza dos corpos sutis e retornarmos ao modo de alinhamento interior com a  Vontade Superior.

O organismo saturado na capacidade de tolerância e esgotado nas possibilidades de defesa, procura alívio para a tensão interna através de fenômenos episódicos e alternantes de descarga de toxinas, como válvulas de escape, servindo-se para este fim dos emunctórios naturais (saídas naturais do corpo, por onde saem as excreções do metabolismo). Este conjunto de circunstâncias e fenômenos, causas e efeitos, constitui  Psora.

Na insuficiência de liberação dos fatores nocivos, quando da impossibilidade dos órgãos e das vias excretoras, isto é quando o organismo não consegue pôr para fora, há uma mobilização em nível celular, alterando a quantidade e a qualidade das eliminações, ou ainda, em grau mais avançado, bloqueia as toxinas em órgãos ou regiões circunscritas, dando origem a neoformações – suores oleosos e fétidos, erupções na pele, inclusive inflamatórias, verrugas e cistos. Esse é o estado de Sicose.

Se esta frente de defesa for novamente ultrapassada, o organismo tenta se desvencilhar das toxinas ou se adapta ao estado do estresse persistente, mediante sacrifício dos próprios tecidos, instalando o estado miasmático do Luetismo ou Sifilismo, estados de acúmulos desde o ventre materno ou por herança genética.

Em outras palavras, A psora mal resolvida (excitação) passa a Sicose (inibição) que não resolvida, será o Luetismo.

 

Miasmas Secundários – Somatório. Exacerbação de estados de consciência que levam a degeneração do organismo:

O Tuberculinismo –  sensibilidade reativa aumentada à todas as agressões do aparelho respiratório.

O cancerinismo  – reação pela desagregação até a falência da energia vital.

 

%d blogueiros gostam disto: