Arquivo da categoria: Personalidades Homeopátias

Platinum metallicum – Homeopatia


Metal precioso encontrado junto a ouro e diamante e outros, como paladium e rodium. Inalterável, não é sensível a nenhum ácido.platina-300x300

Pré-psora:

Sensação de abandono, medo da morte, ansiedade pela salvação da sua alma. tem a ilusão de que está só e por sua conta e que não pertence à sua família. Sonhos espantosos e de morte.

Psora:

Defensivo, teme os homens, acredita que não é apreciada, chora à menor reprovação ou por desprezo. Timidez, indecisão e alternância de humor de um dia para o outro. Um dia chora, no outro quer abraaçar todo mundo. Palpitações que agravam com a menstruação.

Sicose:

Ao pensar que tem de se virar por si mesma se elevará em alta conta. Acha que é nobre e tem os que a rodeiam como inferiores mental, físico e socialmente. Tem a ilusão de que familiares e filhos são indignos e inferiores.

A perversão pode chegar à sexual.

Incômodos nas partes genitais como pruridos, picaduras e sensações voluptuosas ao ponto de não suportar o contato com as roupas.

Tem a ilusão que é regida por poder sobre-humano. Avareza, capaz de empregar qualquer meio para obter o que deseja, sem delimitação moral.

Luetismo:

Pode passar à indiferente  para com quem ama, até mesmo à crueldade destrutiva, matar por faca. Sente-se rancorosa, descontente, torna-se misantropa e teme pela salvação da sua alma.

Nariz empinado, canta e dança, destrói objetos, acha tudo estranho, todos estão ali para servi-la, são mentalmente inferiores, sexa os relacionamentos, cultua o corpo, faz penitências delírios com demônios e fantasmas terror á morte.

Orgulho, desdém, abandono, preconceito, raiva, aborrecida, apreciada, homicida, impudica.

Sintomas físicos:

Dores abdominais de cima para baixo.

Dor umbilical irradiando para as costas.

Aborto.

Dormência nos dentes, no cérebro, nas mãos, cãibras articulares e nas mandíbulas.

Dor de cabeça constritiva.

Convulsões.

Derrame cerebral.

Adormecimento da face

Nevralgias.

Fome brusca.

Frio no rosto, pior no lado direito.

Cistos no ovário esquerdo.

Tumores ovarianos e fibromas.

Prolapso do útero

Masturbação precoce.

Transtornos mentais associados à supressão da menstruação.

Menstruação: precoce; adiantada;  profusas; com coágulos; mau cheiro.

Prurido vulvar.

 

 

 

Anúncios

Palladium metallicum – Homeopatia


Metal precioso usado como liga pelos dentistas, é encontrado junto com ouro e platina na natureza mas não é tão nobre ou valioso quanto eles.SONY DSC

Pré -psora:

Tinha a sensação que reinava e era o centro de grande prestígio e reconhecimento de todos.

Psora:

Sente-se incomodado, diminuído, com a sensação de baixa estima por parte da comunidade em que vive, desatendido em suas necessidades e com o ibobe em queda,

Sicose:

Palladium é um medicamento sicótico pois está ligado ao comportamento social.

Luetismo:

Palladium é o similimum do artista, a estrela que sofre ao deixar de brilhar.

Necessidade de aplauso e reconhecimento por essa razão podem optar por viver em locais mais simples, em que possam sobressair, onde não haja concorrência. Vivem papéis, fazem pose e sacrifícios pela aparência.

Como o metal esquecido, cobra aplausos e atenção constantes. Necessita da companhia de outros. Delega seu valor à avaliação de terceiros, aplausos e elogios.

Adulação. Necessidade de colher elogios e reconhecimento, não sendo, sente-se vexado humilhado, diminuído (mesmo que isso de fato não ocorra), reage à indiferença como se insultado e menosprezado.

Sensação de que é mais alto, hipersensível a música

Excentricidade, vaidade, destaque,  adulação, egoísmo, abandono, indignação, orgulho, rejeição.

Sintomas físicos:

Lateralidade direita

Cistos no ovário direito, cólicas, pontadas no umbigo.

Dor cortante no útero após defecar.

Fluxo transparente, pior antes da menstruação.

Metrorragia quando amamenta.

Dentes incisivos salientes, mucosidade espessa, muco viscoso.

Muco viscoso no nariz

Olhos com descoloração azulada em volta

Cefaléia de manhã, de orelha a outra, coriza, prurido, náuseas, após amanhecer e ao ar livre.

Diarréia, prolapso intestinal, constipação intestinal, fezes ressecadas.

Urina pouco por vez, urina sanguinolenta.

Insuficiência respiratória, pontada em dor com respiração profunda.

Ciática do lado direito, dor que sobre dos dedos dos pés.

Dor reumática no ombro direito.

Genitália masculina: ereções incompletas, falta de ereções, muco viscoso.

Piora:

Ciática direita à tarde, noite, pelo frio, movimento ou parado;

Depois de excitação mental, física ou social.

Melhora:

Por toque, pressão, esfregando; ao ar Livre; dormindo.

 

 

Thuya – Personalidades Homeopáticas


ThuyaBaixa autoestima, sensação de minusvalia, Thuya occidentalis é o representante completo da Sicose (inibição; ver Teoria Miásmática).

É uma sensação bem comum, muitos sentem em algum momento, mas em Thuya não é só sensação,  a pessoa não sabe  quem é, o que é, e busca copiar modelos prontos mascarando o imenso vazio que carrega dentro de si.

Thuya vive personagens, usa falas prontas, copia modelos de comportamento, estilos, objetos… mas não é por inveja, tenta compor uma personalidade aceitável ou condizente. Thuya não se vê. Não enxerga a própria beleza. Tenta existir, num tempo e espaço em que ela simplesmente não acredita que exista, que ocupe, que esteja lá e tenha um papel propriamente seu nesse arranjo.

Tristeza. Raciocínio lento.

Mau humor. Indeciso.

Hipersensibilidade emocional. Chora quando ouve música. Impressionável.

Não gosta de ser tocado. É frágil e pode quebrar-se.
Tem ideias fixas, sujeito a bulimia e anorexia. Olha-se o tempo todo no espelho. Retorna, Confere  para ver se esqueceu algo, revê o que faz.

Mania de perseguição, acha-se olhado o tanto quanto olha.

Sente algo mexendo em seu ventre, acredita estar grávida.

Fortes dores de cabeça, como um prego encravado na testa, na fronte.

Tem vertigem quando fecha os olhos. Tersol. Otite. Ponta língua dolorida

Sensibilidade extrema na vagina.

Secreções:  Corrimento nasal crónico, pele oleosa, suor excessivo, urina com frequência, leucorréia abundante.

Melhora espreguiçando, esticando os membros.

Beladona – Personalidade homeopática


images (17)

Beladona

O doente Belladonna é alegre, vivo, excitado, quando a sua saúde está no auge. No entanto, quando afetado por um qualquer padecimento fica abatido, prostrado.
A prostração surge de forma inusitada, bruscamente, com estupor, nomeadamente após a fase de delírio.
Tem alucinações, vê monstros, caras horrendas, fantasmas, insetos, cães, lobos, animais negros.
Tem muito medo de coisas imaginárias, desejando fugir delas.
Pode existir uma tendência ao suicídio por afogamento.
Ansioso, deseja fugir, ir para qualquer lugar. Não está bem na cama, quer sair, fugir, ir para outro lado.
Apresenta por vezes um delírio de intensa violência. Enfurece-se, quer arrancar as suas roupas e tenta morder e bater nos que o cercam. Acessos de riso, ranger de dentes. Transforma-se num selvagem.
Fala muito, mas de forma algo incompreensível. Quando lhe fazem perguntas responde de modo incoerente.
Os seus sintomas são extremamente violentos e melhoram, quer pelo sono quer pelo repouso.
Tem uma imensa aversão aos líquidos, podendo a simples visão da água torná-lo furioso.
Quer dormir e não consegue. Está exausto, cheio de sono, mas não consegue adormecer.
Tem sonhos angustiantes. Pesadelos.
Os seus músculos têm contrações no momento de adormecer e durante o sono.
Acorda sobressaltado.
Os membros apresentam movimentos convulsivos, tais como contrações musculares.
Os seus sentidos são hipersensíveis e facilmente excitáveis. É sensível ao barulho, ao ruído, à luz e ao toque.

As dores aparecem e duram um tempo indeterminado, de forma brusca e desaparecem do mesmo modo. Em regra, as crises dolorosas são de curta duração e intermitentes e são acompanhadas de rubor do rosto e dos olhos.

Padece de cefaleia. A dor é aguda, lancinante, pulsante, apresentando batimentos no cérebro e nas carótidas, agravando ao menor ruído, luz e movimento e melhora pela pressão, agasalhando-se e durante a menstruação. Hipersensibilidade do couro cabeludo.
Sente a cabeça pesada, enorme como se estivesse aumentando de volume, muito quente. O rosto está congestionado, afogueado, avermelhado e os olhos injetados. No seu desespero, atira-a para trás tentando enfiá-la na almofada. Chega mesmo a abaná-la, gritando.
Convulsões de aparecimento súbito quando do nascimento dos dentes, com febre, cabeça quente e pés frios.

Os olhos estão vermelhos, congestionados, as pupilas dilatadas e fixas.
O olhar é rude, feroz.
Não suporta a luminosidade e tem ilusões de óptica.
Vê estrelinhas incandescentes.

A língua está inchada, vermelha, brilhante, treme e tem dificuldade em sair da boca. A cor é parecida com a da framboesa. As papilas estão salientes.
O lábio superior está inchado e avermelhado.
As mucosas da boca estão secas.
A faringe está seca, inchada e inflamada, com especial incidência na sua parte direita.
Tem bastante sede, desejando beber pequenas quantidades de água fria, mas engole dificilmente e com dor, que irradia para o ouvido, especialmente o direito. Sensação de bola na garganta.
O abdomen, quente, está distendido e é sensível.

Inflamação do cólon transverso com dores violentas.

Resfria-se constantemente. É sensível às correntes de ar sobretudo quando tem a cabeça descoberta ou quando sai para a rua depois de a ter secado.
O vento frio provoca-lhe inflamação das amígdalas.
Hemorragias pelo nariz, principalmente à noite.
Tem uma apurada sensibilidade aos odores não suportando o cheiro do fumo.
A laringe está seca. Rouquidão que faz doer e que aparece em regra depois de ter gritado. Tem necessidade de engolir em seco para aliviar.
Tosse seca, dolorosa, que agrava à tarde e à noite, antes da meia noite.

O pulso é cheio, duro, globuloso, como se grãos de chumbo batessem sob os dedos.

As regras muito abundantes de sangue quente, vermelho vivo ou misturado com coágulos negros e de mau odor, vêm adiantadas.
Tem dores que surgem bruscamente, exercendo pressão, de tal modo que a paciente tem a sensação de que os órgãos contidos no abdómen vão sair pela vulva e que agravam pela manhã e ao andar e melhoram sentada.
Dores picantes e inchaço do ovário direito, que surgem bruscamente e desaparecem do mesmo modo.
Seios avermelhados e quentes, inchados, pesados, duros.

Inflamações locais variadas, avermelhadas, brilhantes, com calor e tumefacção súbita. O calor da pele comunica uma sensação de queimadura à mão que a examina.
Diz-se que é o primeiro remédio do estado inflamatório de qualquer parte do corpo.

AGRAVAÇÃO: ao meio dia; depois das 15 horas; às 11 horas da noite; depois da meia noite, mas não o dia todo; pela corrente de ar; pelo toque e o menor choque; pelo movimento; pelas aplicações frias; pela luz brilhante; ao olhar objetos brilhantes; ao beber; estando deitado sobre o lado afetado, com a cabeça descoberta; pelo sol de Verão.

MELHORA: pelo repouso; num quarto quente; em pé ou estando sentado; virando-se para trás.

Apis Mellifica – Personalidade homeopática


images (16)APIS MELLIFICA

O paciente Apis é uma pessoa triste, melancólica, chorosa.

Choraminga sem saber porquê, sem qualquer causa aparente, apresenta-se abatido, desencorajado.  É irritável, ansioso e difícil de contentar. Os seus movimentos apresentam uma certa descoordenação: os objectos que segura nas mãos caem facilmente. Tem uma sensibilidade extrema ao toque.

As crianças emitem gritos súbitos e agudos durante o sono ou ao acordar.

Grito encefálico. Nos estados críticos, agudos, o doente pode ter convulsões, a cabeça girar de um lado para o outro, afundando-a no travesseiro, gritar e entrar em coma.  Não consegue dormir por agitação nervosa.

Desconfiado. Ciumento.

Irritabilidade. Apatia, indiferença com depressão. Vontade de chorar. Dificuldade em pensar com clareza. Descoordenação dos pensamentos. Deixa cair os objectos que transporta nas mãos. Quando está doente agita a

cabeça de um lado para o outro e afunda-a no travesseiro. Como em quase todos os venenos, podem coexistir em Apis duas fases: uma de irritabilidade e excitação e outra de depressão. Tem medo de ser envenenado. Teme a morte iminente. Medo de ter uma apoplexia. Qualquer coisa o atormenta. Tem a sensação de que vai morrer. Desespero sem razão plausível. Sonha que voa. Os sintomas mentais são muitas vezes acompanhados de transtornos cardíacos, tais como, palpitações, opressão e dor no coração.

As dores são violentas, queimantes, picantes, penetrantes como agulhas, fazendo lembrar a ferroada da abelha ou da vespa, estendem-se a todo o corpo e percorrem-no bruscamente de um lado ao outro. Agravam pelo calor e pelo repouso e melhoram pelo frio e pelo movimento.

Febres intermitentes, paludismo; calafrio às 15 horas, com sede, agravando pelo calor.

Pálpebras inchadas e vermelhas, com lacrimejamento queimante. Todas as doenças oculares com edema. Edema das pálpebras como um papo intumescido, mais significativo ao nível das inferiores.