Arquivo da categoria: Grupo do Medo

Cherry Plum – aceito a orientação interior


Florais de Bach, do A ao W, CHERRY PLUM – Prunus cerasifera: A flor da serenidade. Palavras do Dr. Bach: “Para cherry-plumquando se tem medo que a mente se esgote, de que se perca a razão, de que se faça coisas espantosas e horríveis, indesejáveis e prejudiciais, embora se pense nelas e se sinta impelido por elas.” As pessoas no estado tem medo de perder a cabeça, de perder o controle e o domínio da mente. Apresentam explosões de mau gênio e sentem-se assediadas por pensamentos brutais, contra os outros, cônjuge, filhos e contra si mesmos. Sentem-se na iminência de um colapso nervoso. Apresentam idéias delirantes, atividade mental intensa; no comportamento a manutenção de afetos inadequados e desprazerosos. Passa por grande sofrimento. É o medo da personalidade em abrir-se ao desenvolvimento e ao crescimento espiritual. Cherry Plum desenvolve coragem e espontaneidade para a abertura, a entrega a partilha e também ao mergulho profundo no inconsciente integrando em sua vida as percepções intuitivas lá guardadas. Vai ajudar a definição do nosso sentimento em relação a outra pessoa, pois desfaz as projeções que criamos sobre o outro. Cherry Plum ajuda entender que somos um microcosmo dentro de um macrocosmo e só quando mantemos aberta a ligação com o sistema maior, através da orientação interior, vibramos e desenvolvemos junto com esse sistema.

Anúncios

Aspen – do pressentimento sombrio para a sensibilidade consciente


Florais de Bach do A ao W – Floral ASPEN – Populus tremula: para os medos indefinidos. Com ela fazemos contato com vibração do destemor, capacitando para o autodomínio e renascimento.aspen-580x480
As doenças se manifestam no corpo físico só depois de cristalizadas nos corpos sutis e Aspen, a flor do pressentimento, nos conduz na travessia do pressentimento sombrio para a sensibilidade consciente. Descrição do Dr. Bach:” Para medos indefinidos e desconhecidos, que não têm nem explicação nem razão de ser. O paciente também pode estar apavorado diante do pressentimento de que algo terrível vai acontecer, sem que saiba exatamente o que será.”
Aspen nos ajuda a compreender que no caminho da vida, nosso Eu superior nos faz enfrentar várias experiências de conscientização, para o nosso processo de crescimento individual. Devemo treinar e desenvolver conscientemente nossos instrumentos de percepção, para aprender a diferenciar as impressões vindas do mundo externo, dos imaginários impulsos de medo vindos de nosso interior.

Cherry Plum – do excesso de tensão, para o relaxamento


 

Cherry PlumCherry Plum

a flor da serenidade

do excesso de tensão para o relaxamento

Qual a verdade que preciso compreender melhor?

Somos parte de um Todo maior, um pequeno sistema energético num grande sistema energético; um microcosmo no macrocosmo. Só quando mantemos aberta a ligação com o sistema imediatamente superior, através da nossa orientação interior, podemos vibrar e nos desenvolver junto com esse sistema. Então estamos seguros, então estamos nas mãos de Deus.

Qual a decisão que me faz entrar em contato com a minha orientação interior?

Quando sinto que uma situação escapa ao meu controle mental, conscientemente decido me abrir, tornando-me receptivo às instruções do meu Eu Superior – e depois ajo com confiança, segundo essa orientação interior.

Eis como identifico o crescimento do meu potencial positivo Cherry Plum:

Cherry Plum: “consigo perceber mais depressa os meus impulsos emocionais, aceita-los melhor eme expressar antes que se acumule demasiada tensão. por isso, em muitas situações reajo de modo mais sereno do que antes.”

Red Chestnut


Red Chestnut
Red Chestnut
a flor do corte do cordão umbilical
da simbiose para a autonomia
Qual a verdade que preciso compreender melhor?
Cada um de nó é responsável por seu próprio plano de vida. A interferência mútua, mesmo quando inconsciente, significa imiscuir-se na personalidade de um outro ser e, portanto, também uma violação à Lei da Unidade.
Qual a decisão que me faz entrar em contato com a minha orientação interior?
Decido recolher meus tentáculos emocionais a limites adequados. Pretendo aprender por mim mesmo a perceber minhas emoções e medos, e a cuidar do meu próprio desenvolvimento.
Eis como identifico o crescimento do meu potencial positivo  Red Chestnut:
Consigo perceber meus pensamentos e emoções de modo cada vez mais consciente. Respeito os limites da minha personalidade e da personalidade dos outros.

Aspen


aspen
Aspen
a flor do pressentimento
do pressentimento sombrio para a sensibilidade consciente
Qual a verdade que preciso compreender melhor?
No caminho da vida, o Eu superior nos faz enfrentar várias experiências de conscientização, pois elas são úteis ao nosso processo de crescimento individual.  devemo treinar e desenvolver conscientemente nossos instrumentos de percepção, para aprender a diferenciar as impressões vidas do mundo externo, dos imaginários impulsos de medo vindos de nosso interior. Aquele que aceitar esse desafio irá perceber e integrar cada vez mais as “sombras interiores” e, assim, se fortalecerá.
Qual a decisão que me faz entrar em contato com a minha orientação interior?
Nas situações indefinidas, eu preciso ouvir o meu eu interior e seguir em frente, empregando minha ente objetiva e pedindo proteção ao meu Eu Superior.
Eis como identifico o crescimento do meu potencial positivo Aspen:
Consigo distinguir mais claramente os vário níveis de consciência. Percebo, cada vez mais, se um sentimento se origina do meu interior ou se eu o absorvo do mundo exterior.

Rock Rose do pânico, para a coragem heróica – A Flor da Elevação


rock-rose

Mimulus


Mimulus
Mimulus
do medo do mundo, para a confiança no mundo
A Flor da Coragem
Qual a verdade que preciso compreender melhor?
No mundo da polaridade existe luz (amor) e escuridão (medo). Mas das duas, é a luz que tem mais força. Prova disso é que, quando à noite ascendemos uma lâmpada, a luz sai pela janela e conquista a escuridão lá fora, porém a escuridão não entra na sala iluminada. Nosso processo de crescimento ocorre nesse mundo de polaridade. Basicamente, nosso plano de vida está organizado de modo que a luz (consciência, amor) possa crescer dentro de nós. Podemos assim confiar serenamente em nossa orientação interior.
Qual a decisão que me faz entrar em contato com a minha orientação interior?
Decido, em essência, dar um passo em direção à luz. Enfrento com coragem as coisas que estão no meu caminho de vida, pois posso confiar na orientação do meu Eu Superior.
Eis como identifico o crescimento do meu potencial positivo Mimulus:
“Tenho menos medo do que antes e consigo enfrentar mais coisas sem timidez, sem hesitação e sem temores. Sinto-me interiormente mais forte e à altura dos desafios da vida.”