Archive for ‘Autoconhecimento’

12/28/2017

Reverencie a sua luz interior – o decote


A felicidade faz a pessoa brilhar e isso é literal, muitos de nós não tem a percepção ou a visão desenvolvida para traduzir esse fenômeno. Nessa vida bipolar, em que vivemos a experiência em uma polaridade para reconhecer o outro extremo, nem sempre estamos em contato com a felicidade, mas quando fazemos o contato, brilhamos. Quanto mais contatos, mais iluminados. E quanto mais percepção e consciência do instrumento que é esse aprendizado nos contrários – essa coisa de precisar sentir dor para almejar a felicidade –  mais contato com a própria integridade no Ser, o Ser maior que a personalidade, essa personalidade que é a personagem que vestimos todos os dias para “enfrentar” a vida.

Ontem eu brilhava… eu brilhava muito, pois vivi uma experiência linda com o canto devocional. Cantei para minha alma e para meu espírito, cantei para o Divino e suas manifestações. Cantei para todo mundo, para cada homem e mulher dentro de cada homem e mulher. Cantei para cada Criança da Criação, cada vontade de vida manifestada. Fiz contato profundo com a felicidade. Cantei para criar com e na a Felicidade.

Um casal passa por mim na rua, o homem puxa a moça aparvalhoado e a moça me interpela: “Bonito o seu colar!!!” Olhando para o meu decote. Aterrisso (só um pouquinho) do meu êxtase musical, sorrio, agradeço, falo breve da origem do colar e sigo. Percebo o espanto da moça com a minha distração, pois simplesmente sigo, passo.

Agora, aqui, é o momento em que eu falo sobre o poder feminino, sobre o desperdícioKrishna and Radha in a loving moment dessa força, esse desperdício que é não se ver, não se sentir, não se perceber e focar exclusivamente no que vem de fora, no que parecer vir do outro e considerar a Divindade Ativa no outro  como uma ameaça. Isso que é a desculpa para muitas mulheres que insistem em permanecer enredadas na prisão que criaram para elas mesmas. O Sagrado Feminino se realiza futucando as entranhas de si mesma e assumindo a sua criatividade, a sua condição geradora, o seu poder reciclador, de receber energias e transmutar nas belas criações a serviço da manifestação do feminino na vida. Não é ser princesa, é ser rainha e soberana de si mesma. Numa relação de casal, a interseção das duas vontades é um portal. Se essas vontades são desalinhadas se são vontades de pessoas que não tem autorrespeito, esse portal vai trazer o remédio que o casal precisa. A terceira pessoa que entrar é o remédio. Muitas vezes o remédio que faz fortalecer a união do casal e seus propósitos, ou, ao contrário, o remédio curador que faz romper com as amarras frágeis de um ciclo que já se encerrou entre eles dois.

A vida não é vã, é toda ela movimento e reconstrução. Evolução. A vida não se enfrenta, se vive, dentro dela, fluindo com ela. Aceitar o feminino sagrado em si mesma, tanto atrai o parceiro que já está lá, poderoso em seu masculino, como também faz  estimular o companheiro (ou parceiro de vida, ou de experiências) despertar, ressurgir, ressuscitar, assumir o seu Homem Sagrado interior. E assim desperta mais um lindo casal de deuses, curando e recriando a própria vida e a de todos ao seu redor. Conscientes de que tudo fora do Ser é cíclico e impermanente, e que, querer dominar a vontade alheia é querer ser melhor que o outro… e assim não é casal, não é divino e não é funcional para a evolução de nenhum dos dois.

Anúncios
12/02/2017

Sweet Chestnut – da noite escura, para uma nova manhã


“Quando mente ou corpo estão estão no limite das forças e nada mais podem fazer” Dr. Bach. Desespero extremo em que a pessoa acredita que chegou ao limite da resistência, quando sente que o sofrimento vai além de tudo o que um ser humano pode suportar. A pessoa se sente desamparada e desprotegida.

SweetChestnut

Ocorre que os arquivos mentais já não servem mais de modelos para o entendimento. Nesse momento de transição, há a confrontação da personalidade consigo mesma e a sua tentativa de não se render ao novo estado de consciência, já instalado no indivíduo.

O Floral Sweet Chestnut nos coloca em contato com a verdade de que é preciso vir a noite para ver o novo dia. De que todos os desenvolvimentos ocorrem ciclos, no eterno e natural morrer e nascer. Nesse processo carecemos profundamente  da entrega para alcançar a percepção do momento certo em que devemos, conscientemente, por escolha, de entregar-nos à direção de uma instância superior. Rendição… é chamado o Floral da Redenção.

Namas-te!

Márcia Cristina.

05/31/2017

Você merece sofrer?


resilienci

“AVALIANDO A NÓS MESMOS QUANDO FOMOS MENOS QUE PERFEITOS

Numa atividade de rotina em meus seminários, peço aos participantes que se lembrem de alguma ocasião recente em que eles fizeram alguma coisa que gostariam de não ter feito. Em seguida, observamos como eles falaram consigo mesmos imediatamente após terem cometido o que em linguagem comum chamamos de “erro”. Algumas frases típicas são: “Isso foi burrice!”; “Como pude fazer uma coisa tão idiota?”; “O que há de errado comigo?”; “Estou sempre pisando na bola”; “Isso foi tão egoísta!”

Essas pessoas foram ensinadas a julgar a si mesmas de um modo que implica que o que elas fizeram foi errado ou ruim; sua autorrecriminação implícita pressupõe que elas merecem sofrer pelo que fizeram. É trágico que tantos de nós fiquemos enredados no ódio por nós mesmos, em vez de nos beneficiarmos dos erros, que mostram nossas limitações e nos guiam em direção ao crescimento.

Mesmo quando às vezes “aprendemos uma lição” com os erros pelos quais nos julgamos com tanta severidade, preocupo-me com a natureza da energia por trás daquele tipo de mudança e aprendizado. Eu gostaria que a mudança fosse estimulada por um claro desejo de melhorar nossa vida e a dos outros em vez de por energias destrutivas como a vergonha ou a culpa.”

Comunicação Não – Violenta – Técnicas Para Aprimorar Relacionamentos Pessoais e Profissionais – Rosenberg, Marshall B. – Ágora

12/06/2016

Curando-se


OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Nos processos terapêuticos vibracionais há  aceleração e expansão dos campos eletromagnéticos dos corpos das pessoas envolvidas. Uma vez que o local do encontro passa a ser o espaço/tempo de contato com o conflito (ou enfermidade), há que treinar a mente em não se deixar enganchar pela ilusão de um contra o outro, permitindo assim que a energia coagulada se dissolva, até porque a verdade da corrente de cura é que não existe o outro. Somos todos um.

12/06/2016

Somos pequenas águias


Um dos desafios dos primeiros passos na consciência da unidade é eagle-wallpapercrer que o outro não esteja caminhando bem, em vez de somente tornar-lhe o caminho seguro. A Visão da Águia é ampla, para proteger no não julgamento. Para projetar novas dinâmicas nas realidades coletivas estacionadas, de forma que cada um, no seu tempo, na sua condição, faça seus movimentos e alce o seu próprio vôo.

09/25/2016

Autoconhecimento e Harmonia


crencas_300px

 

“A maior parte da infelicidade humana deriva do fato de o homem não conhecer a sí próprio, de não saber distinguir, dentre as múltiplas flutuações da sua psique, sua essência íntima e verdadeira, sua nota permanente.

 

 

É raro encontrar um indivíduo em perfeita harmonia consigo mesmo, capaz de dar expressão ao seu “eu” real, e de chegar à autorrealização, que é fonte de equilíbrio, de bem estar e de serenidade.

Eis por que se dá tanta ênfase à importância do autoconhecimento e dos estudos psicológicos. Na verdade, o autoconhecimento não é , de fato, um alvo em si mesmo, porém estabelece a base para a reconstrução e harmonização da psique e para o reconhecimento do verdadeiro eu, que é a força integrante da personalidade.

Esse é o processo da individuação de que fala Jung, a psicossíntese de Assagioli, a luta pela autorrealização de Karen Horney, que, no prefácio de seu livro Neurose e Desenvolvimento da Personalidade, diz:     ” O conhecimento de si próprio não é… um escopo por si mesmo, e sim o meio de liberar a energia do desenvolvimento espontâneo. Nesse sentido, ocuparmo-nos de nós mesmos torna-se não só a mais importante obrigação moral, como, ao mesmo tempo, e no autêntico significado da palavra, o mais importante privilégio moral”.

É claro, pois, que se quisermos realmente encontrar o equilíbrio dentro de nós – alcançando, assim, a expressão do nosso verdadeiro eu – devemos começar pelo autoconhecimento. Isso não só nos trará serenidade e harmonia mas nos fará capazes de compreender melhor os outros, ama-los, auxilia-los, fazendo-nos fontes de bem e de força para todos aqueles que encontrarmos.

A aspiração ao conhecimento não é, todavia, sintoma de egocentrismo, e sim uma necessidade real do homem, de uma existência profunda e construtiva, que trará, em seguida, resultados úteis e benéficos para a própria pessoa e para os demais.”

Os Sete Temperamentos Humanos, Angela Maria La Sala Batá, Ed. Pensamento.

Sarau Espiral das Deusas

Expressões do feminino consciente

Sarau das Deusas

Expressões do feminino

El Jardí de les Essències

Es un espacio real y virtual en el que aprender el lenguaje olvidado de la naturaleza e investigar sobre las esencias florales

Canal Meditação

Ensinamentos sobre meditação e espiritualidade.

Caminho Nobre

Educar o Espírito - Fortalecer a Mente - Orientação para Facilitar a Vida

Blog do aguaeflor.com.br

Terapias Naturais e Autoconhecimento

Projeto Segundo Sol

Somos Todos UM

Sala 19

O blog de História de Fabiana Scoleso

Colhendo Lírio

Todos os caminhos levam ao mesmo destino.

Ginecosofía

Sabiduría Ancestral de las Mujeres

Dully Pepper24H

Arte pelo Amor, Arte pelo Mundo, Arte pela Paz!

Caminhadas Ecológicas RJ

Dicas de caminhadas ecológicas e passeios no Rio de Janeiro

Museus do Brasil

Arte no seu roteiro de viagem

Pôr-do-Sol no Arpoador

Sunset - Rio de Janeiro - Turismo carioca

Um Pequeno Atelier

CRIAções do FEMININO consCIENTE

Fisioquantic São Paulo

Terapias Naturais e Autoconhecimento

sintenrj.com

Terapias Naturais e Autoconhecimento

%d blogueiros gostam disto: