Archive for ‘Alimentação’

06/27/2020

PANCS 2


Nesse post eu trago outra experiência interessante com Pancs.

Como eu havia dito no post Pancs 1, para quem tem o histórico de família ambientada no cultivo de plantas alimentícias e medicinais, foi uma surpresa alegre ter contato com a cultura Pancs, que resgata e distribui informações importantes acerca das inúmeras possibilidades de alimentos nutritivos, à disposição de todos!

Lembrando: Pancs são plantas comestíveis não convencionais e tem por características bom paladar, nascimento espontâneo,  riqueza de nutrientes e fácil manutenção.

 

PALMA FORRAJEIRA

PANCS

Fiz essas fotos na trilha do Mucugesinho, Chapada Diamantina.

 

A Palma Forrajeira é um Cacto trazido do México para o Brasil, rico em água fibras e nutrientes é uma PANCS, por suas características.

Comemos refogadinha lá na Chapada Diamantida, embora possa ser ingerida crua, bastando descascar e fazer o suco.

A terceira hortaliça mais consumida no México é rica em vitaminas, nutrientes e aminoácidos e está ganhando espaço em diversas cozinhas.

Por sua natureza, é uma planta de fácil cultivo e muito bonita. No Brasil é encontrada em propriedades particulares, pois foi trazida destinada ao alimento do gado bovino, mas essa não é a origem do consumo dessa riqueza vegetal. Esse é o resultado da visão distorcida dos conceitos riqueza/pobreza.

 

FLOR-DE-MAIO

FLOR DE MAIO

FLOR-DE-MAIO É CACTO, MAS SERÁ QUE É PANCS?

Essa é uma proposta interessante, cultivo flores-de-maio pelo bem-estar que me proporcionam e por se adaptarem bem, sem sofrimento, em apartamentos.

Há anos eu decidi que só cultivaria plantas quando fosse possível a convivência pacífica e sem sofrimento. Eram seis gatos em um apartamento de 120 m2, e para gatos todo espaço é pequeno; é um ser explorador e firmador de território.

Atualmente somos uma família com dois gatos idosos e, com a idade, ele mudam de hábitos, ficam mais bonachões e sobem menos nas coisas… as plantas já podem sobreviver.

Mas Flor-de-maio é Pancs? É um cacto, isso eu sei.

Ainda não conheci nada documentado nem alguém próximo que tenha vivido experiência. Geralmente sou ousada com experimentos, mas no caso das flores-de-maio tenho sido muito sentimental e não estou disposta a esse experimento, sem uma necessidade real.

A próxima etapa é cultivar a Pitaia no apartamento. Aguarde.

Se você tiver vivido essa experiência com flor-de-maio, compartilha comigo que vai me ajudar!

 

06/27/2020

PANCS 1


“O termo PANC foi criado em 2008 pelo Biólogo e Professor Valdely Ferreira
Kinupp e refere-se a todas as plantas que possuem uma ou mais partes comestíveis,
sendo elas espontâneas ou cultivadas, nativas ou exóticas que não estão incluídas em
nosso cardápio cotidiano.” GRUPO VIVEIROS COMUNITÁRIOS (GVC)

Para quem tem o histórico de família ambientada no cultivo de plantas alimentícias e medicinais, foi uma surpresa alegre ter contato com a cultura Pancs, que resgata e distribui informações importantes acerca das inúmeras possibilidades de alimentos nutritivos, à disposição daqueles que escolhem novos hábitos de participação dos processos de consciência ambiental, bem-estar, saúde e nova economia.

Pancs são plantas comestíveis não convencionais e tem por características bom paladar e nascimento espontâneo,  nutrientes, microelementos, fibras e dispensar o cultivo, bastando a manutenção.

 

BERTHALHA

BERTALHA É UMA TREPADEIRA COMUM NA AMÉRICA DO SUL E CRESCE ABUNDANTE NO RIO DE JANEIRO.

A Bertalha  me acompanhou durante a infância e nas duas gestações de meus filhos mais velhos.

É abundante e inúmeras vezes oferecemos aos vizinhos (e as minhas amigas grávidas).

Costumo refogar ou variar de molho. Muito comum ser preparada com ovos juntos, mexidos ou inteiros.

 

 

 

 

 

peixinho

PEIXINHO DA HORTA

 

 

IMG_2279

Peixinho empanado – tem esse nome pois guarda esse paladar. Foto pessoal da Solange, do nosso almoço de ensaio do teatro.

 

 

Quebrar padrões sempre que possível e forma consciente  são decisões importantes no processo de autoconsciência, auto-soberania e amplitude de visão de mundo.

E você? Já experimentou alguma pancs?

 

02/13/2014

Pão Essênio


 

Essa matéria é da autoria de Aline Chaves ( http://panelasdecapim.blogspot.com.br) e está fragmentada para caber no Água e Flor.

Pão dos essênios

Pão essênio? Uma receita de pão com mais de 2.000 anos…
Top de linha na Culinária da Alimentação Viva.
Só mesmo um povo que aprendeu a viver e semear nos desertos, como os essênios, para inventar esta história de fazer comida no sol. E estas comidas abençoadas pelo Anjo do Sol… são as mais deliciosas.
Pois bem, esta é a receita que Jesus nos ensinou:

“Deixai que os anjos de Deus vos preparem o vosso pão. Umedecei o vosso trigo, para que o anjo da água penetre nele. Ponde-o então no ar, para que o anjo do ar o abrace. E deixai-o da manha à noite debaixo do sol, para que o anjo da luz solar desça sobre ele. E a benção dos três não tardará a fazer o germe da vida brotar no vosso trigo. Em seguida moei o vosso grão e fazei obreiras finas, como faziam seus antepassados quando partiam do Egito a casa da servidão. Tornai a pô-las debaixo do sol quando ele aparece e, quando ele subir ao ponto mais alto dos céus, virai-as do outro lado para que elas sejam abraçadas ali também pelo anjo da luz solar e deixai-as onde estão até que o sol se ponha. Pois os anjos da água, do ar da luz solar alimentaram e amadureceram o vosso trigo do campo e, da mesma forma, precisam também preparar o vosso pão” (SZEKELY, O Evangelho Essênio da Paz,1981, pp. 43-44).

Trocando em miúdos, se lembra daquele moedor de carne da vovó? Então, é ele mesmo…

Comece germinando as sementes de trigo!

À noite, coloque as sementes de molho na água dentro de um vidro coberto por umfiló e elástico.

Pela manhã, tire as sementes da água e lave-as. Coloque-as para respirar no ar. Use um escorredor de pratos para colocar o vidro inclinado de cabeça para baixo, em um ângulo de 45 graus e escorrer o excesso de água que fica no fundo do vidro.
À noite, lave as sementes novamente. E coloque-as no ar para respirar mais (da mesma forma como mencionado acima). O trigo começa a germinar aqui, mas ainda não está no ponto.
Pela manhã, o trigo está no ponto ideal do pão, maiorzinho… Mais pré-digerido pelo processo de germinação no ar e, portanto, mais macio.
 
Desse modo, o ponto ideal para germinação do PÃO ESSÊNIO são sementes de trigo germinadas: 8 horas na água e 24 horas no ar…

Sementes germinadas às mãos… vamos fazer pão

Agora, é só moer as sementes germinadas por três vezes. A massa é linda e dá uma liga ótima!

Modelagem do pão essênio

Aperte bem a massa com as duas mãos até formar uma bola.
Bata a massa de trigo germinado em uma mesa de mármore para dar uma liga boa.
Se não tiver mesa de mármore… Estique a massa com o auxílio de um tecido de voal por baixo, se preferir. Este tecido dá aderência e permite deixar a massa bem fininha, sem grudar.
Faça formatos circulares, rodelas finas e leve ao sol, pelo menos por 1 h. Se preferir, cubra com tecido de voal, que é bem fino e leve, para proteger seu pão de visitantes indesejados.
Seque a massa dos dois lados!
Está pronto!
Para saber se está bom… prove. Seu paladar é o melhor indicador do sucesso da sua pesquisa.
E se não tiver sol?

Então, aprenda a administrar o forno do seu fogão e transformá-lo em um desidratador doméstico.

Nível mínimo de temperatura e tampa entreaberta para deixar sair a água dos alimentos.

Lembre-se que DES-HIDRATAR significa tirar as águas. Então, você cuida para o forno não fechar, senão vai superaquecer seu pão.

Uma boa dica de medição da temperatura é que suas mãos regem o termômetro do fogo da vida. nesse caso, use-as para saber se a temperatura está quente demais ou de menos.
Desejo a todos vocês muito sucesso com os pães da Vida!
Aline Chaves

Pesquisadora dos ciclos alimentares e alquimista de vegetais vivos

 
A PAZ ESTEJA CONTIGO…
%d blogueiros gostam disto: